Intercâmbio em Madison, Wisconsin

Intercâmbio em Madison, Wisconsin

Por

Hoje entrervistamos a Luiza (19 anos) que ficou 3 meses estudando inglês na escola WESLI. Ela decidiu que queria viajar principalmente por aspirações acadêmicas, explorar mais possibilidades para o futuro e obviamente para poder conhecer os EUA. Na entrevista que fizemos, elas nos contou vários detalhes de sua experiência:

Como foi a preparação da viagem com a T&B?
A T&B me deu todo o suporte que eu precisei para a viagem. Seja ajudando com o passaporte, visto, seguro de saúde ou até mesmo com dicas para aproveitar melhor a experiência a T&B me ajudou com todos os detalhes.

A orientação pré-voo foi útil?
Bastante. Eu estava bastante nervosa, principalmente com a imigração, mas depois da orientação eu me senti mais tranquila.

Como foi a integração e relação com as pessoas/ diferenças culturais no país em que se hospedou?
Ficar em um lugar desconhecido com comida desconhecida foi realmente estranho e assustador no começo, mas a escola e a família que me recebeu ajudaram bastante na adaptação. Conviver com os alunos da escola também ajudou bastante, apensar de nenhum deles ser nativo, íamos descobrindo juntos os melhores lugares para comer visitar e passear, fora os eventos que a própria escola oferecia.

A cidade além de tudo era muito solícita e aberta a novas culturas e nacionalidades. Boa parte disso é devido aos muitos estudantes estrangeiros da Universidade de Wisconsin em Madison. Fiquei até espantada com a abertura, o respeito e o interesse por outras culturas dos habitantes, muitos deles me faziam perguntas interessados em saber mais sobre o meu país de origem.

Qual foi a diferença de qualidade e dificuldade da escola em comparação ao que esta acostumado?
A escola era diferente do que eu estou acostumada, principalmente com a formulação das salas de aula e dos horários. Os alunos se misturam mais, já que cada aula é com uma turma diferente, o que foi ainda mais enriquecedor.

As lições de casa conjugavam a sua nota no final do período, além disso elas eram avaliadas e devolvidas diariamente pelos professores, que são sempre dispostos a responderem a quaisquer pergunta e ainda são bem humorados.
As provas de modo geral não eram muito difíceis, confesso que não estudava muito para elas, talvez pela realização das tarefas diárias. A prova mais difícil que eu fiz foi a de redação, mas fora essa as outras foram mais tranquilas.

Você acha que teve oportunidades para interagir com as pessoas do pais que viajou?
Tive oportunidades, principalmente quando saía com a minha família ou até mesmo nos passeios que a escola oferecia, mas interagi mais com os alunos da própria escola.

Você teve alguma preocupação com sua saude ou segurança em algum momento?
De maneira nenhuma, a cidade é extremamente limpa e segura. Eu me senti mais segura lá do que em São Paulo. Pude até me aventurar andando sozinha nas ruas depois de já ter escurecido.

Você recomendaria este programa para um amigo?
Já recomendei na verdade. Falei do programa para alguns dos meus amigos que vieram discutir oportunidades de intercâmbio.

O que você mais gostou da sua experiência?
A imersão na cultura e toda a experiência de semi-independência que tive.

Qual foi sua maior dificuldade nesse periodo?
A senti saudades da comida brasileira e de casa.

O que você menos sentiu falta?
Transporte público. Dava para fazer tudo a pé.

E o seu maior desafio?
Administrar o meu dinheiro para não gastar demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *